Como manter a saúde mental em dia na estrada

O primeiro mês do ano é considerado uma “página em branco”, a ser preenchida com novas metas e objetivos. Por isso, desde 2014, o mês de janeiro é dedicado a abordar assuntos relacionados à saúde mental por meio da campanha “Janeiro Branco”. Neste ano, o lema escolhido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é “Todo cuidado conta”. 

De acordo com a Organização da Saúde (OMS), somos o segundo país das Américas com maior número de pessoas com depressão (5,8%). Também somos o país mais ansioso do mundo, com 9,3% da população nessa condição. 

Nesse post a Rodovale gostaria de falar sobre a saúde mental de uma categoria essencial para o segmento logístico, responsável pelo transporte de 60% das cargas no país: os caminhoneiros autônomos. De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), são mais de 695 mil profissionais autônomos circulando pelas estradas no Brasil. 

Apesar de a rotina de caminhoneiro oferecer autonomia e liberdade, esses profissionais enfrentam uma série de dificuldades como estradas em condições ruins, falta de lugares adequados para fazer uma pausa ou descanso, falta de segurança e o risco de assalto, além de cumprir uma rotina exigente para conseguir cumprir os prazos.

Além disso, essa categoria de trabalhadores, pelo fato de o segmento de logística ser considerado essencial, não parou durante a pandemia e tem trabalhado sem pausa, mesmo com as dificuldades. 

Geralmente, os caminhoneiros trabalham todos os dias (sem final de semana ou feriado), com uma média de 6 a 8 horas de descanso. Os profissionais passam longos períodos longe da família, o que também é uma fonte de desgaste para a saúde mental e emocional. 

Experiências vividas na estrada influenciam na saúde física e mental

De acordo com a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), entre 2007 e 2018 foram mais de 756 mil acidentes com vítimas nas estradas brasileiras, sendo que 33% tiveram o envolvimento de pelo menos um caminhão

São números alarmantes, que evidenciam a necessidade de ações preventivas. A falta de atenção de condutores e pedestres representou 29% das causas desses acidentes e o fator humano associado à falta de fiscalização ou infraestrutura viária foi a causa de 21,9%. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Uberlândia (2018/2019), as principais dificuldades apontadas pelos caminhoneiros são:

  • Longas jornadas de trabalho;
  • Falta de acesso a serviços de saúde;
  • Pressão para o cumprimento de prazos para entrega das cargas;
  • Más condições das estradas;
  • Longas distâncias percorridas.

Essa mesma pesquisa apontou que motoristas que vivenciaram algum acidente têm quase quatro vezes mais chance de desenvolver alguma doença vascular periférica. 

Motoristas que já tinham sido assaltados tinham seis vezes mais chances de ter doença vascular periférica, duas vezes mais chances de ter obesidade e quatro vezes mais chances de possuir nefropatias. 

Dessa forma, foi possível concluir que a exposição a eventos traumáticos nas estradas pode influenciar na saúde física e, consequentemente mental, desses profissionais. 

Como manter a saúde mental em dia ao volante

Por esses motivos, acompanhe algumas dicas de como manter a saúde mental em dia ao volante! 

  • Tente manter uma rotina previsível, o que também será útil para a produtividade. O senso de familiaridade com a rotina minimiza a indisposição nos horários de trabalho;
  • Reserve horários para a alimentação e descanso e procure fazer pausas durante o expediente de trabalho. Isso é importante para aliviar a tensão nas pernas e braços, após horas no trânsito; 
  • Evite o consumo excessivo de estimulantes como café, energéticos ou medicamentos. Essa atitude prejudica o sono e pode influenciar negativamente no seu humor;
  • Tenha uma alimentação consistente, com a quantidade correta de proteínas, carboidratos e vitaminas;
  • Procure dormir de 7 a 8 horas por dia. A falta de sono causa falta de atenção, mau humor e estimula gatilhos de estresse, o que pode inclusive causar problemas cardíacos;
  • Mantenha contato com as pessoas da sua família e os amigos. Isso é essencial para nutrir emoções e comportamentos saudáveis, como respeito, calma e tolerância. 
  • Procure consumir conteúdos educativos durante as longas horas no volante, como audiolivros ou podcasts. Pode ser uma boa forma de aproveitar o tempo. 

E, por fim, não hesite em buscar apoio psicológico profissional se achar necessário.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Posts Relacionados: